segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A (i)lógica dos sonhos



E mais uma vez ela chegou com os fones do mp4 no ouvido, ouvindo num volume tão alto que qualquer um ao redor poderia até mesmo dizer qual era a música - se conhecessem. Ela cantava distraidamente e ia aumentando o tom de voz aos poucos e quando se dava conta já estava cantando perfeitamente alto, atraindo olhares não lá muito satisfeitos para sua direção. Corada, ela desviava o olhar pro chão e voltava a apenas dublar, mexendo os lábios de acordo com a letra da música. Alguma dessas músicas antigas que ninguém mais ouve, provavelmente. Ou então uma daquelas bandas novas que ninguém conhecia. Ela se envaidecia horrores de seu gosto musical, considerava-o impecável. Não havia uma música sequer em sua playlist que ela não gostasse de ouvir mais de uma vez. Ela conhecia as músicas da moda mas enjoava fácil. Ela gostava de procurar músicas pelas letras pra que houvesse uma identificação maior ou então gostava de usar as letras para basear a vida de seus personagens nelas...Ah, sim, a menina era uma contadora de histórias! Amadora, claro. Não era lá muito grande e nunca conseguia terminar nenhuma que começava. Mas se apegava de tal forma aos seus personagens que ela queria deixá-los livres pra ir e vir quando bem entendessem e terminar uma história seria como matá-los todos. Crime literário hediondo! Eram quase como sua versão para amigos imaginários...podia tê-los por perto quando bem entendesse. As garotas normais da idade dela ouviam músicas e lembravam-se de seus namorados, paixões. Mas ela já não entendia muito disso. Músicas românticas a transportavam para uma observação privilegiada dos casais que ela mesma inventava e tinha medo de que quando se apaixonasse de verdade, o garoto não fosse tão interessante quanto aqueles que ela mesma criava. Mas ela estava apaixonada! Talvez ela às vezes se esquecesse ou não fosse levada a sério mas certa vez sonhou com um menino e nunca mais pôde tirá-lo da cabeça! Veja bem, é uma garota com uma imaginação fora do comum, não se pode culpá-la! Ele era tão perfeito e tão dela que ela não se via amando mais ninguém em seu futuro se não o - literalmente - garoto dos seus sonhos. Sonhou com ele umas três vezes, nada mais que isso, mas o suficiente pra marcá-lo na memória pro resto da vida. E o suficiente pra dar a ela a certeza de que o amara e sempre amaria por mais que nem soubesse se ele de fato existia ou se iam se encontrar um dia...
Provavelmente ela vai amadurecer e seus sonhos vão se perder com a idade. Provavelmente ela vai perder o encanto que a difere das demais. Provavelmente ela vai casar com um cara que nunca sonhou e seguir em frente...Mas talvez ele ainda a visite em outros sonhos só pra lembrá-la de quem ela é até que ela volte a fazer o que sempre fez de melhor: sonhar.

Nathalia Alves.

5 comentários:

fanny disse...

pqp demorou mas postou.. e mt bem postado por sinal hahaha. amei amiga, me lembra alguem q eu conheço, saabe? hahaha um amiga loira aih meio lerda.


;*

kikinhah disse...

Oieee...
Passando para agradecer sua visita e comentário em meu blog.
Volte sempre que puder.
BjOs^^

layne disse...

sabe que eu tava pensando nisso ontem?
a gente sonha tanto e com o tempo, vai desistindo de todos os sonhos.
é tão triste ;x

gostei mto do blog, vou seguir voces.

beautiful disaster disse...

fanny. o layout ficou perfeito *-*
vc não tá afim de fazer o do meu blog também não? HAHAHAHAH

Babado de menina, disse...

menina!!!
adorei o post!
achei inspirador!
sem falar que me identifiquei um pouquinho! hahaha
beijão!;***