quarta-feira, 16 de abril de 2008

Amantes.



Devo estar entrando em um grau de sanidade
com saldos negativos, pois até alguns minutos antes
de tocar você considerava essa idéia totalmente imatura.
Mas agora o fato já foi consumado.
Por um segundo esqueci de toda minha concepção
do que é certo. E isso para sustentar um prazer momentâneo.
Uma vaidade...
A comunicação de nossas almas é muito falha, mas
quando deixamos que nossos corpos se entendam, é
como se o paraíso estivesse próximo. E assim juntos,
tão juntos que podemos parecer um só formamos o
verdadeiro caminho ao êxtase.
Estamos presos um ao outro pelos mesmos
interesses e esse ar de liberdade é a certeza de
que voltaremos a procurar no outro o que não podemos
saciar sozinhos.
Nem o homem mais sábio entenderia esse
sorriso que toma conta dos meus lábios, sorrateiramente.
Por isso não escondo o orgulho para não deixar ninguém
ver que o pecado tem razão de ser.
Mas não me arrependo nem em pensamento
Apesar de ter posto a culpa em minha pobre sanidade afetada.
Faria tudo novamente apenas para alimentar minha fútil vaidade
E o meu prazer momentâneo.

Rachel Dos Santos.

4 comentários:

Stéphanie disse...

Bravo! (sempre kis fala isso hahaha) Ateh q enfim mostrou seu potencial. Claro q tinha q tr uma pontada d "putaria".. ôô.. qr dizer.. erotismo hahaha! Adorei, ser sem sanidade alguma =P

Rachel disse...

Aaaa..
Tem sacanagem?
Nem reparei...
Escrevi como se fosso um conto infantil...
Obg moonga.

celticos disse...

Que fútil que nada isso é uma declaração de amor.

slipkigor disse...

muito bom mesmo! vem escrito, vocabulario bem elaborado, ótimo tema(q nem de longe é infantil kkkkk) perfeito minha kekel do coraçao^^